INCLUSÃO: Parque Dom Pedro exibe "Masha e o Urso, Diversão em Dobro" em sessão adaptada para crianças com distúrbios sensoriais

Imagem
Desenvolvida para o público neurodiverso, Sessão Azul inicia o ano no empreendimento neste sábado, 24, e todos pagam meia-entrada "Masha e o Urso: Diversão em Dobro" estreou recentemente nos cinemas brasileiros (Foto: Divulgação)   O Parque Dom Pedro, administrado pela ALLOS – a maior e mais inovadora plataforma de serviços, entretenimento, lifestyle e compras da América Latina –, realiza, neste sábado, 24, a primeira edição de 2024 da Sessão Azul, quando a sala de cinema é adaptada para receber crianças com distúrbios sensoriais diversos. Neste mês, o filme escolhido pelo público foi "Masha e o Urso: Diversão em Dobro". Na Sessão Azul, todos pagam meia-entrada e os ingressos podem ser adquiridos na bilheteria do Kinoplex ou pelo site Ingresso.com .   Durante a Sessão Azul, a sala fica com as luzes adaptadas, o som mais baixo e a plateia pode se movimentar à vontade, durante toda a exibição. Também não há exibição de trailers comerciais antes do filme.

NEGÓCIOS: D&I, diversidade racial e de gênero proporcionam rendimentos acima da média às empresas


Troposlab, empresa especializada em inovação, tem incentivado e contribuído em programas de aceleração que colaboram com o aumento da diversidade e da inclusão no ecossistema brasileiro


O cenário corporativo está mudando e uma das principais transformações é a valorização da Diversidade e Inclusão (D&I) dentro das empresas. Atualmente, 96% das companhias realizam campanhas para fomentar programas de D&I, segundo um estudo da Blend Edu. Nesse sentido, empresas como a Troposlab, consultoria especializada em inovação, têm sido aliadas do ecossistema brasileiro ao conduzir programas que colaboram no incentivo do setor por meio da aceleração de empresas, com desenvolvimento de mentorias, workshops e networking. 

Segundo uma pesquisa da McKinsey & Company, empresa de consultoria e gestão, companhias com diversidade étnica e racial têm 35% mais chances de ter rendimentos acima da média do seu setor. Além disso, organizações com diversidade de gênero têm 15% mais oportunidades de obter resultados acima da média.

"Enxergamos o investimento em empresas com diversidade relevante para o fomento de um ecossistema também mais diverso e capaz de atender às diversas camadas sociais", afirma Pedro Teixeira, Diretor de Aceleração da Troposlab. "Fazendo um paralelo com a economia, a diversidade pode estar ligada à competitividade ao gerar uma maior variabilidade de negócios que atendem a diferentes segmentos de clientes e ao tornar o mercado mais dinâmico. Além disso, ela é fundamental para gerar soluções de valor para uma camada da população que não têm suas demandas atendidas", ressalta.


Programas que transformam o mercado

A Troposlab, que atua com companhias de diversos setores e desenha programas personalizados de intraempreendedorismo e open innovation , já promoveu a aceleração de 1415 startups e produziu mais de 700 projetos de inovação em grandes empresas. Dentre as ações, uma que se destaca é o WFintech, programa de aceleração realizado junto ao Sebrae-SP, focado em startups da área financeira (fintechs) com fundadoras mulheres. 

Com duração de outubro de 2022 a fevereiro de 2023, o programa ofereceu às profissionais participantes a oportunidade de evoluir seus negócios por meio de mentorias de desenvolvimento de produto, construção de máquina de vendas, investimento e trocas de experiências com foco nas especificidades da área financeira.

Durante os quatro meses, o WFintech proporcionou mais de 160 horas de mentorias, 8 workshops e 5 encontros de conexão entre as empreendedoras e uma grande rede de parceiros e madrinhas do programa. No programa, as startups tiveram um crescimento médio na nota de diagnóstico do negócio de 12,5% e evoluíram também questões intangíveis, como estar mais confortáveis e estimuladas a participarem de eventos e apresentações e cresceram a rede de contato e apoio para seu negócio, possibilitando novas oportunidades.

"A presença e crescimento de empreendedoras, em especial em áreas mais dominadas pelo público masculino como é a área financeira, não só servem de inspiração para novas empreendedoras e líderes nessa área, mas também abrem a mente dos homens que já estão presentes no setor sobre a importância feminina. Mesmo que os seus negócios atuais não dêem certo, estas mulheres estão mais preparadas para empreender novamente e/ou assumir papéis de liderança em outras startups ou empresas do setor", conta Renata Horta Diretora de Novos Serviços e Parcerias da Troposlab.

Além do WFintech, o Ginga Imerso, mais um programa realizado pelo Sebrae-SP e conduzido pela consultoria, irá acelerar startups de São Paulo que possuem uma pessoa negra como sócia majoritária ou mais da metade do time fundador composto por pessoas pretas ou pardas. 

Para Renata, a diversidade aumenta a probabilidade de sucesso da inovação gerada na empresa, proporcionando também melhores chances de aumento de rendimento. "A diversidade permite que mais camadas da demanda sejam compreendidas. Em um mercado tão rápido, incerto e competitivo, acertar nos detalhes é importante para se estabelecer, e o olhar diverso vai considerar mais elementos, vieses, portas de entrada no desenvolvimento da inovação, gerando não só um produto, mas um modelo de negócios mais aderente", conclui.

 

Por @oblogueirooficial



SIGA NAS REDES SOCIAIS



CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE NO CANAL "O BLOGUEIRO OFICIAL" DO YOUTUBE

MAIS ACESSADAS:

Tecnologia excludente

TECNOLOGIA: Modernização tecnológica contribui para sustentabilidade e melhora imagem de empresa para clientes e investidores

LITERATURA: Existe relacionamento perfeito?

NEGÓCIOS: Agrishow 2023

BELEZA: Especialista analisa os procedimentos estéticos dos participantes do BBB 23 "Exagerou"

Literatura empodera mulheres

NEGÓCIOS: Concretizando internacionalização, Agrotools anuncia diretor de operações na América do Norte

DECORAÇÃO: Design Dopamina

ENTRETENIMENTO: NFT.Brasil