AUTOMÓVEIS: O líder aprimorado, muito prazer, Novo T‑Cross!

Imagem
  Estilo, modernidade, liberdade e confiança. Essas palavras serviram de ponto de partida para que a Volkswagen entregasse a atualização do automóvel que já era sucesso absoluto. O SUV líder de vendas em seu segmento é novo de novo e pede passagem: muito prazer, Novo T‑Cross. Fotos: Divulgação O T‑Cross foi o primeiro SUV compacto da marca Volkswagen produzido no Brasil e conquistou o cliente brasileiro por ser referência em espaço interno, conforto, tecnologia e performance. Para seguir como o SUV mais desejado do mercado, o T‑Cross estreia um design renovado com nova iluminação externa e com melhorias no acabamento interno. Produzido em São José dos Pinhais, no Paraná, sobre a plataforma MQB, e com os consagrados motores TSI, o novo T‑Cross será comercializado a partir de junho. Trata-se do primeiro dos 16 carros que a Volkswagen do Brasil lançará no mercado até 2028.   "A história do T‑Cross é uma história de sucesso, que começou em 2019. Naquele momento, sabíamo

Patrimônio Cultural do Brasil, Choro é celebrado neste dia 23

Conheça a história e a relevância deste gênero musical brasileiro que encanta gerações


 

"Meu coração, não sei por quê, bate feliz quando te vê." Os versos de Carinhoso, de Pixinguinha, perduram na memória auditiva de boa parte dos brasileiros quando se fala do gênero musical Choro, ou Chorinho, como é mais conhecido. Neste dia 23 de abril, celebra-se o Dia Nacional do Choro, conhecido por sua melodia envolvente e seu caráter improvisacional, conquistando admiradores no país e ao redor do mundo.
 

A data faz alusão ao dia em que provavelmente nasceu Pixinguinha, um dos ícones desse gênero musical brasileiro.
 

Resultado das criações musicais das classes populares do Rio de Janeiro no final do século XIX, o Choro é uma fusão de influências musicais europeias, africanas e indígenas. Seus primeiros expoentes, como Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth e Pixinguinha, foram fundamentais para sua consolidação e disseminação.
 

Patrimônio Cultural
 

Em fevereiro de 2024, o Choro foi reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como Patrimônio Cultural do Brasil. O presidente do Iphan, Leandro Grass, comenta a decisão.
 

"Este ano, comemoramos também este grande presente, que é o reconhecimento do choro como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo Iphan. A partir de agora, nosso compromisso é torná-lo ainda mais conhecido e amado para que possa também ser um instrumento de educação patrimonial e de promoção do próprio Brasil", afirmou Grass.
 

De acordo com o parecer técnico que analisou o pedido de registro como Patrimônio Cultural, "o Choro é uma prática complexa e diversa, presente em todas as regiões do Brasil e disseminada em outros países."
 

Para Paulo Córdova, apresentador do programa Nas Cordas do Choro, na Rádio Cultura, e um dos pioneiros do Chorinho em Brasília, o gênero como Patrimônio Cultural Imaterial é fundamental para dar visibilidade às políticas públicas.
 

"Esse reconhecimento é importante, pois agora vamos poder ensinar os Choros na escola, nas praças e pelo Brasil. O fato da gente ter um dia dedicado a esse gênero que é tão importante na cultura brasileira é fundamental para a visibilidade e a manutenção da própria cultura brasileira", disse.
 

Com o Choro reconhecido como Patrimônio Cultural do Brasil, o corpo técnico do Iphan e os detentores do bem cultural, juntos, vão desenvolver políticas públicas para a salvaguarda do Choro, com programas e cursos em escolas públicas, criação de editais para aquisição de instrumentos e promoção das rodas de choro em locais públicos, fortalecendo o desenvolvimento de formas de transmissão.
 

Gênero musical de base
 

Conforme explica Márcio Marinho, cavaquinista e um dos idealizadores do projeto Choro no Eixo, em Brasília (DF), o Choro está na base de todos os gêneros musicais brasileiros.
 

"O Choro está na gênese de outros gêneros da música popular brasileira. É um gênero que se desenvolveu aqui no Brasil com as harmonias e ritmos europeus, africanos e indígenas e é uma das manifestações culturais que mostram muita fisionomia do povo brasileiro", relatou.
 

O projeto Choro no Eixo acontece aos domingos no Eixão Norte e leva alegria aos moradores de Brasília. São rodas de choro ao ar livre que reúne diversos públicos, desde criança a idosos. O projeto surgiu em 2021, como forma de escape da pandemia da Covid-19 e se consolidou como um evento dominical de muitos brasilienses.
 

Atualmente, o Choro mantém-se vivo através de grupos e músicos dedicados, que preservam suas tradições e, ao mesmo tempo, renovam seu repertório com composições contemporâneas. Festivais e rodas de Choro acontecem por todo o país, reunindo músicos e apreciadores em uma celebração da cultura brasileira.
 

Saiba mais sobre o Choro no Dossiê para instrumentação técnica do Processo de Registro do Choro como Patrimônio Cultural do Brasil. 
 




CLIQUE E FALE COMIGO:


🇧🇷 SIGA O BLOGUEIRO OFICIAL DO BRASIL NAS REDES SOCIAIS:



CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE NO CANAL "O BLOGUEIRO OFICIAL" DO YOUTUBE !



S O L I D A R I E D A D E
AJUDE A EQUIPE EM NOSSO TRABALHO SOCIAL,
FAÇA SEU PIX COM QR CODE E COLABORE COM QUALQUER VALOR:





VEJA TAMBÉM:

Rita Cadillac grava vídeo pornô com criador de conteúdo adulto Jefão

CURIOSIDADES: Viralizou! Conheça Rayssa Buq, fenômeno das redes sociais

Indústria brasileira desacelera diversificação do portfólio no primeiro trimestre

MODA: Podyh AW24

SOLIDARIEDADE: ‘Sábado Solidário’ arrecadas mais de 40 toneladas de doações

Céu lança Novela

Ferragamo Hug Bag

Movimento União BR organiza campanha com mais de 60 empresas para ajudar o Rio Grande do Sul

NEGÓCIOS: Como oportunidade, a TIM busca parceiros no Centro-Oeste

Friboi traz novidades e ativações no primeiro dia de Apas Show 2024