LITERATURA: Com migração para a nuvem privada Leiturinha diminui lead time, melhora produtos e a experiência dos clientes

Imagem
Imagem: Divulgação   A Leiturinha tem experimentado todos os benefícios da nuvem privada e melhorado seus processos internos, conseguindo assim entregar uma melhor experiência aos seus clientes.   Considerada o maior clube de assinaturas de livros infantis do Brasil, a Leiturinha é uma das divisões de negócios do Sandbox Group e está localizada em Poços de Caldas (MG). Todos os meses, a divisão gera em torno de 210 a 220 mil envios de livros ou kits de livros, para atender a sua base de 190 mil assinantes ativos, o que representa uma produção diária de quase 10 mil kits por dia.   Muitos são os desafios para atender essa demanda, manter o ritmo e também tornar esse processo escalado para que se consiga cada vez mais diminuir o lead time da entrega para o cliente, melhorando a experiência final. Pensando em melhorar cada vez mais seus processos, há pouco mais de um ano, a empresa buscou a Wevy para fazer a migração do seu ERP da nuvem pública para a nuvem privada.  

MODA: Cadeia coureiro-calçadista gaúcha divulga pesquisa de impacto das enchentes no setor


Foto: PMSL


 

A cadeia produtiva de couros e calçados do Rio Grande do Sul, que emprega diretamente mais de 120 mil pessoas em cerca de 3 mil empresas, foi impactada pelas enchentes que assolam o Estado desde o início de maio. As entidades que representam as empresas, Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) e Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB), divulgaram um levantamento conjunto que aponta que mais de 7,2 mil trabalhadores dos estabelecimentos do setor foram diretamente atingidos pela catástrofe. Outro dado importante da sondagem é que entre as principais dificuldades colocadas pelas empresas está em primeiro lugar a indisponibilidade com mão de obra, seguida pelos problemas logísticos em função de estradas e aeroportos afetados.


Foi com o objetivo de recuperar o ecossistema produtivo do calçado no Rio Grande do Sul que as entidades representativas da cadeia lançaram, no último dia 13, o Movimento Próximos Passos RS. O objetivo é reconstruir o setor a partir da ajuda às pessoas atingidas. Na oportunidade, foi lançado um fundo social que será inteiramente revertido para entidades beneficentes das cidades atingidas: Associação de Amigos da Oktoberfest (Amifest de Igrejinha), Campo Bom Solidário, Distrito LD2 da Associação Internacional de Lions Clubes (Roca Sales, Muçum, Encantado, Arroio do Meio, Estrela, Lajeado e Taquari), Lions Clube de Rolante, Lions Clube de Parobé, Lions Clube de Três Coroas e Rotary Clube Oeste de Novo Hamburgo.

 

Resiliência

Ainda conforme o levantamento, 48% das empresas do setor foram atingidas pelas enchentes, sendo que a maior parte delas deverá ter a produção normalizada ainda em maio. "Tivemos um impacto importante, mas mais uma vez a resiliência da cadeia produtiva do calçado nos surpreendeu positivamente. Mais de 90% das empresas atingidas devem estar com produção normalizada até o final do mês, graças a ajuda de seus próprios colaboradores", comenta o presidente-executivo da Abicalçados, Haroldo Ferreira.


Para o setor de componentes para couros e calçados sediado no Rio Grande do Sul, a situação é semelhante. "Algumas empresas reportaram problemas, principalmente quanto ao abastecimento de insumos e em função dos seus trabalhadores que foram afetados direta ou indiretamente. Assim que as águas baixarem, as coisas tendem a normalizar o mais breve possível. Não existe qualquer incapacidade de abastecimento, pelo contrário, as fábricas gaúchas atingidas, mais do que nunca, precisam realizar negócios", destaca a superintendente da Assintecal, Silvana Dilly.


Para o presidente executivo do CICB, José Fernando Bello, a indústria de couros tem vivenciado nas últimas semanas o mesmo fenômeno que ganhou espaço no Brasil frente à tragédia: a força da solidariedade. "Nosso setor está empenhado em apoiar as famílias de trabalhadores de curtumes que perderam suas casas e pertences com as cheias no Rio Grande do Sul. O setor de couros se engajou com Movimento Próximos Passos RS e está contribuindo para restabelecer condições de vida para milhares de pessoas atingidas.", destaca Bello.


Doações

As doações para o fundo criado pelo Movimento Próximos Passos RS são recolhidas via pix ou depósito (nacional) e via depósito internacional. Veja abaixo como ajudar:


 

Via depósito nacional

Banco do Brasil

Agência: 0314-X

Conta corrente: 39761-X


Via pix

financeiro@abicalcados.com.br


Via depósito internacional*
Banco do Brasil (001)
IBAN: BR9600000000003140000397610C1
SWIFT: BRASBRRJCTA
*As doações no exterior devem incluir o motivo do envio "Ajuda Enchentes RS May 2024".



 


  ‌



CLIQUE E FALE COMIGO:

SIGA NAS REDES SOCIAIS:



CLIQUE AQUI E INSCREVA-SE NO CANAL "O BLOGUEIRO OFICIAL" DO YOUTUBE !





VEJA TAMBÉM:

CURIOSIDADES: Viralizou! Conheça Rayssa Buq, fenômeno das redes sociais

Rita Cadillac grava vídeo pornô com criador de conteúdo adulto Jefão

INTERNET: Nizam publica foto totalmente nu e choca a web

POLÍTICA: ‘Segurança cibernética eficiente depende da colaboração de todos’, diz Juscelino Filho em seminário com lideranças mundiais

Ferragamo Hug Bag

MODA: Podyh AW24

SOLIDARIEDADE: ‘Sábado Solidário’ arrecadas mais de 40 toneladas de doações

Céu lança Novela

BRASIL BRAU: Abertura do evento apresenta Anuário da Cerveja 2024, perspectivas do mercado e lançamento solidário em prol do Rio Grande do Sul

CELEBRIDADES: Ex-BBB Nizam publica novo ensaio nu