Segunda edição do Salão Literário Infantojuvenil Brasil-Alemanha acontece em maio

Imagem
A i-Lit (Fórum Literário Internacional), em parceria com as editoras Ogro, Girabrasil, Razamba, Fafalag, Gratitude, o estúdio Illustralabor e o Clube do Livro Muenster, vai realizar o 2º Salão Literário Infantojuvenil Brasil-Alemanha, nos dias 4 e 5 de maio de 2024, em Offenbach am Main, na Alemanha.   Para isso acontecer, o evento está recebendo apoio institucional do Consulado-Geral do Brasil em Frankfurt, da Prefeitura de Offenbach, da Der Paritätische (organização não governamental alemã que atua na área social), do Instituto Guimarães Rosa e do Instituto F.I.Z. e.V.   Este segundo Salão proporcionará atividades interativas gratuitas para jovens leitores alemães e para a comunidade brasileira local, e também irá reforçar a riqueza e a diversidade na literatura, atraindo participantes de diversas nacionalidades.   Para Andréia Oliveira Amthor, agente literária e fundadora da i-Lit, o retorno do Salão Literário demonstra que o evento foi bem recebido pelas autoridades

Banco Central vê menores condições de crédito às empresas nacionais


"A concentração bancária diminui e as condições de crédito ficam cada vez mais apertadas"- é isso que o Banco Central "diz". Em 2022, a concentração do mercado de crédito caiu, mas os 5 maiores bancos brasileiros – Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander – ainda detém 81,4% do total.

"A concentração bancária é caracterizada pela predominância de poucos bancos no mercado, e está fortemente ligada ao quanto de crédito está disponível às empresas. Com menos opções disponíveis, as condições de crédito tornam-se mais restritivas, especialmente para pequenas e médias empresas", comenta Luciano Bravo, CEO da Inteligência Comercial e Savel Capital Partners.

Embora a economia brasileira tenha dado indícios de uma ligeira melhora, o Presidente da República, Luis Inacio Lula da Silva tem "travado uma guerra" contra o BC: O chefe de Estado vem criticando a não alteração na Taxa Selic, os juros básicos da economia brasileira, que está em em 13,75% ao ano no Brasil.

"Uma provável solução é o aporte de crédito internacional, que possui taxas de juros mais atrativas e condições flexíveis, estimulando a recuperação econômica e impulsionando o crescimento das empresas. Além disso, o acesso a novas fontes de financiamento contribuiria para diversificar as opções de crédito disponíveis no mercado, reduzindo a dependência das instituições financeiras locais", diz Luciano.

Pouco falada, essa solução quase "milagrosa" pode contribuir para a resolução desses problemas com crédito. Com a entrada de recursos estrangeiros, as empresas em recuperação judicial teriam acesso a capital adicional, possibilitando a retomada de suas atividades e a superação da crise financeira.

"24% dos novos negócios abertos fecham as portas antes de completarem dois anos de existência e, ao final de quatro anos, esse percentual chega a 50%, são muitas empresas. Se ao menos metade pudesse utilizar o aporte de crédito internacional, o resultado não seria o mesmo", finaliza o CEO da Inteligência Comercial.





CURTIU ? COMPARTILHE O POST E ACOMPANHE NAS REDES SOCIAIS !


ANUNCIE AQUI PARA FAZER PARTE DA MAIOR REDE DE DIVULGAÇÃO NA INTERNET.




.

VEJA TAMBÉM:

Rita Cadillac grava vídeo pornô com criador de conteúdo adulto Jefão

CURIOSIDADES: Viralizou! Conheça Rayssa Buq, fenômeno das redes sociais

Multishow e Globoplay transmitem "SOWETO - 30 Anos Ao vivo" nesta sexta (19)

"Acampamento de Magia para Jovens Bruxos" estreia no Gloob na próxima sexta-feira, dia 12

BBB: Análise das três últimas edições aponta diferenças no comportamento do público nas redes sociais

Ana Clara invade casa do Big Brother Brasil 24 após grande final no Multishow

MODA: Podyh AW24

Indústria brasileira desacelera diversificação do portfólio no primeiro trimestre

Vitrine de Inovações: Agrishow 2024 reunirá mais de 800 marcas expositoras nacionais e internacionais durante os cinco dias de evento

Novo Nordisk é a única farmacêutica presente no Web Summit 2024